• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A Principal Dificuldade do Naturalismo - Lewis


    Se você não leu, seria importante ler o 1º artigo:

    O Naturalista e o Supranaturalista

    A Principal Dificuldade do Naturalismo.

    Não podemos ter ambas as coisas, e nenhum sarcasmo quanto à limitação da lógica resolve o dilema.
    I. A. RICHARDS, Principles of Literary Criticism, chap. 25 II.

    No caso de admitirmos o naturalismo como verdadeiro, toda coisa ou evento finito deve ser (em princípio) explicável em termos do Sistema Total. Digo "explicável em princípio" porque é certo que não podemos exigir dos naturalistas, em qualquer dado momento, a descoberta de uma explicação minuciosa de cada fenômeno. Muitas coisas só serão evidentemente explicadas quando as ciências atingirem um nível mais adiantado. Mas se devemos aceitar o naturalismo, temos então o direito de exigir que cada coisa se apresente de forma que possamos ver, de modo genérico, como ela pode ser explicada em termos do Sistema Total. Se existisse, porém, algo de um determinado tipo que nos permitisse perceber antecipadamente a impossibilidade de aplicar-lhe essa espécie de explanação, o naturalismo se desfaria de imediato.


    Sempre que as necessidades intelectuais nos forçarem a conceder a alguma coisa qualquer grau de independência do Sistema Total, se houver algo que praticamente demonstre possuir livre-arbítrio, mostrando ser mais do que uma expressão do caráter da natureza como um todo teremos então abandonado o naturalismo. Pois por esse nome indicamos a doutrina de que apenas a natureza todo o sistema interligado existe. E se isso fosse verdade, toda coisa e evento seriam, se soubéssemos o suficiente, explicáveis sem resíduos como um produto necessário do sistema. Sendo o conjunto do sistema o que é, ele seria uma contradição em si mesmo, se você não estivesse lendo este livro no momento; e, ao inverso, o único motivo porque você o está lendo deveria ser que todo sistema, em tal lugar e hora, estivesse determinado a seguir esse curso,


    Foi feita recentemente uma ameaça contra o naturalismo sobre a qual não baseio qualquer argumento, mas que será interessante notar. Os cientistas do passado acreditavam que as menores partículas de matéria se moviam segundo leis rígidas. Em outras palavras, os movimentos de cada partícula estavam "interligados" com o sistema total da natureza.


    Alguns cientistas modernos parecem julgar se é que os compreendo que isso não acontece. Segundo eles, a unidade individual de matéria (seria ousado continuar a chamá-la de "partícula") se move de modo indeterminado ou casual; movendo-se, de fato, "de si" ou "por si mesma". A regularidade que observamos nos movimentos dos menores corpos visíveis é explicada pelo fato de cada um deles conter milhões de unidades e que a lei das proporções nivela então as idiossincrasias do comportamento da unidade individual. O movimento de uma unidade é impossível de calcular, assim como seria o resultado de jogar uma moeda para o alto; a maioria dos movimentos de um bilhão de unidades pode, entretanto, ser prevista, da mesma forma que, se jogasse uma moeda para o alto um bilhão de vezes, você poderia prever um número praticamente igual de caras ou coroas.

    Para continuar, clique aqui

    Este texto está no tópico - Artigos em Série.


    0 comentários: