• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Crianças Choronas - J. Freeman


    "Nosso sofrimento não merece o nome de sofrimento.
    Quando considero minhas cruzes, tribulações e tentações; me envergonho quase até a morte, pensando na sua insignificância em comparação com os sofrimentos de meu bendito Salvador Cristo Jesus ".

    Martinho Lutero

    k
    Chorões, chorões. Eles estão por toda parte. Foram vistos em restaurantes. Nos bares. Foram vistos choramingando nos bancos da igreja. Foram reconhecidos nos hospitais e instituições educacionais.

    Também já foram descobertos no campo missionário...

    Todos eles compartilham de um denominador comum - sentem fortemente que foram maltratados pela vida. Não lhes perguntem como vão passando a não ser que esteja preparado para ouvir uma suculenta “história de guerra”, completa com o último mexerico. Eles encherão seus ouvidos durante horas se lhes permitir. De olhos arregalados, eles dramatizam os detalhes em tom sentimental. Você irá sentir-se tentado a conceder-lhes o Oscar pela performance.

    Em 1Co 11.18-19, Paulo disse que existem ás vezes partidos e divisões na igreja local, de modo que os membros sinceros podem ser reconhecidos facilmente. Motivados pelo amor, como Cabeça da igreja, Jesus Cristo permite que surjam crises numa assembléia local de crentes. Depois de algum tempo os chorões profissionais começam a reagir contra o pastor e finalmente reclamam da “injustiça” dos regulamentos da igreja. Eles acabam eventualmente influenciando um certo número de covardes piegas, a fim de que se queixem também.

    Eles não compreendem que Deus se reserva o direito de testar o coração de seu povo. Ele fez uso de outros seres humanos, eventos incontroláveis, circunstâncias inesperadas, a espada da Palavra e a convicção do Espírito Santo para revelar quão bem aplicaram o que ouviram.

    Isso me faz lembrar de dois chorões ressentidos que ficaram descontentes por ter recebido pagamento igual por trabalho desigual. Vamos fazer uma pausa e ler esta história clássica, decifrando alguns dos temas subjacentes:

    Para continuar, clique aqui

    Este texto está no tópico - Artigos em Série


    0 comentários: