• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Niccolò Machiavelli – Nicolau Maquiavel - Biografia


    No ano de 1513, na cidade italiana de San Casciano, um exilado político ocupa-se todas as manhãs com a administração de pequena propriedade onde está confinado. À tarde, joga cartas numa hospedaria com pessoas simples do povoado. À noite, veste trajes de cerimônia e passa a conviver, através da leitura, com homens ilustres do passado.

    Chama-se Maquiavel, é de estatura média, magro, fronte larga, olhos penetrantes e lábios finos. Ao meditar sobre assuntos políticos, alia o fecundo diálogo com autores antigos à longa experiência do mundo moderno, adquirida numa vida inteira dedicada aos negócios públicos florentinos. Um dos resultados dessa meditação é um pequeno livro, O Príncipe, que contém ensinamentos de como conquistar Estados e conservá-los sob domínio; em síntese, um manual para governantes.

    O autor dedicou-o a Lorenzo II (1492-1519), potentado da família dos Médicis e duque de Urbino, mas o soberano acolheu friamente a dádiva e não teve tempo para aprender-lhe as lições, pois faleceu logo depois, aos 27 anos de idade. Outros, no entanto, parece que souberam aproveitá-las muito bem. Foi o que demonstrou, por exemplo, o monarca inglês Henrique VIII (1491-1547), ao forjar o célebre caso da anulação do matrimônio com Catarina de Aragão (1485-1536); esse ardil foi que lhe permitiu separar a Igreja britânica da Santa Sé, espoliar sistematicamente os mosteiros e consolidar seu poder absoluto.

    Diz-se que também Catarina de Médicis (1519-1589), rainha-mãe da França, teria seguido os ensinamentos de Maquiavel ao jogar católicos contra protestantes e ordenar o famoso massacre dos Huguenotes de 1572, na “Noite de São Bartolomeu”. Com isso manteve a soberania para os filhos, indolentes e incapazes de agir maquiavelicamente como a mãe. Ela era mãe do Rei Carlos IX e de Margarida de Valois, a Rainha Margot, personagem principal do romance de mesmo nome de Alexandre Dumas. Mas Catarina também era filha de Lorenzo, ao qual tinha sido dedicada a obra que, adolescente ainda, certamente leu interessada.

    Essa e outras histórias de ardis, assassinatos e espoliações de governantes têm sido atribuídas à inspiração de O Príncipe, e chegam a ter algum valor para compreender-lhe o significado. Mas, freqüentemente, servem apenas para deformar-lhe o conteúdo mais profundo e a relevância dentro da história das idéias. Conteúdo e relevância que só podem ser apreendidos quando se conhecem as circunstâncias em que a obra veio à luz, dentro do quadro da vida pessoal do autor e das coordenadas econômicas, sociais e políticas da Europa dos séculos XV e XVI. A essas condições vincula-se a situação especial da Itália, pátria de Maquiavel.

    Para continuar, clique aqui

    Este artigo está no tópico – Biografias

    0 comentários: