• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Estilo Retórico e Estilo Filosófico


    Este é o 4º artigo da série Retórica. Os três primeiros são:

    01 - A Contenda Original
    02 - O Repúdio da Retórica e as Dificuldades da Filosofia
    03 - O Desafio do Verossímil ao Verdadeiro


    Citamos pouco acima a Lógica da descoberta científica, de Popper (1934), que teve o mérito de ligar os procedimentos da descoberta mais à lógica do verossímil do que à lógica do verdadeiro. Popper todavia não hesitava em se unir ao coro dos que, nos anos 30, ainda desprezavam os procedimentos retóricos, como indignos da dignidade da ciência. Mas no ano seguinte ao aparecimento do seu livro, em 1935, houve um epistemologista, muito menos conhecido, Ludwg Fleck, que propôs uma teoria dos estilos de pensamento, a qual retomava a antiga controvérsia entre Górgias e Platão, entre retórica e filosofia, entre verossímil e verdadeiro. Escreve Fleck em seu ensaio Por uma teoria do estilo e da comparação de pensamento:

    “As concepções não são sistemas lógicos – por mais que desejam sê-lo -, mas unidades providas de um estilo, que como tais se desenvolvem, se atrofiam ou morrem, com suas provas, no interior de outras concepções... Uma das tarefas mais importantes da teoria do conhecimento comparado deveria ser pesquisar modo como concepções e idéias pouco claras passam de um estilo de pensamento a outro”.

    O conceito de estilo, entendido à maneira de Fleck, presta-se bastante bem para designar o dilema entre retórica e filosofia, que surgiu no início dos séculos IV a.C. e que hoje volta a ser atual: mais que duas ciências em conflito, retórica e filosofia são duas maneiras diferentes de enfrentar de modo não diletante os temas cuja abordagem não é a engenharia monopólio de uma ciência específica (como a bioquímica, a engenharia eletrônica etc.). Esse uso o termo “estilo” já estava presente, de resto, inclusive em autores do mundo oitocentista, p. ex., em Flaubert, que escreveu numa carta a Taine:

    Para continuar, clique aqui

    Este artigo está no tópico – Textos Filosóficos

    O próximo artigo desta série é A TÉCNICA DO ANTIMODELO

    0 comentários: