• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Duas Árvores.


    Não é nosso propósito proporcionar uma exposição detalhada e exaustiva de Gênesis, mas, sim, tentar selecionar alguns dos tesouros menos óbvios desta maravilhosa e rica fonte, na qual estão guardadas inesgotáveis provisões de riquezas espirituais. Este primeiro livro da Palavra de Deus é repleto de quadros simbólicos, prefigurações proféticas e um resumo dispensacional, bem como de importantes lições práticas, e será nosso deleite chamar atenção para alguns destes, à medida que passamos de capítulo para capítulo.

    Ao estudarmos os ensinamentos simbólicos das Escrituras do Velho Testamento, delas aprendemos, algumas vezes, por contraste e outras por comparação. Uma ilustração surpreendente deste duplo fato, encontra-se no segundo capítulo de Gênesis. No nono versículo lemos: “E a árvore do conhecimento do bem e do mal”. Em At 5:30, lemos: “O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, a quem vós matastes, pendurando-o num madeiro” (1); e, novamente , em 1Pe 2:24 “Carregando Ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados” (2). Agora, o leitor contemplativo naturalmente perguntará: Por que deveria a Cruz de nosso abençoado Senhor ser mencionada como uma “árvore”? Ao certo, deve haver algum significado mais profundo do que aquele que aparenta na superfície. Não seria intenção do Espírito Santo que nos referíssemos novamente a Gn 2:9 para compararmos e contrastarmos estas duas árvores? Cremos que sim, e uma meditação silenciosa sobre o assunto revela alguns aspectos extraordinários tanto de comparação como de contraste entre a árvore do conhecimento do bem e do mal e a árvore (madeiro) sobre a qual nosso Senhor foi crucificado. Vamos considerar, primeiro, alguns aspectos de contraste.

    1. A primeira árvore foi plantada por Deus. “Do solo fez o Senhor Deus brotar toda sorte de árvores agradáveis à vista e boas para alimento; e também a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal” Gn 2:9. Então, esta árvore não foi plantada por Adão, mas pelo Criador de Adão – Deus. Mas a segunda árvore, a árvore sobre a qual nosso Senhor foi pregado, foi plantada pelo homem. “Depois de ( eles ) o crucificarem” Mt 27:35 é o breve, porém terrível registro. Foram as mãos humanas que planejaram, prepararam e erigiram aquela árvore cruel na colina do Calvário. Em marcante contraste...
    k
    k
    Este texto está no tópico - Artigos.

    0 comentários: