• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A Escravidão da Vontade - Argumentos 4 e 5 - M. Lutero.


    Argumento 04 - A lei tem o propósito de conduzir os homens a Cristo, dando-lhes conhecimento do pecado.
    k
    O Argumento a favor do "livre-arbítrio" é que a lei não nos teria sido dada se não fôssemos capazes de obedecê-la. Erasmo, por repetidas vezes você tem dito: "Se nada podemos fazer, qual é o propósito das leis, dos preceitos, das ameaças e das promessas?" A resposta é que a lei não foi dada para mostrar-nos o que podemos fazer. Nem mesmo a fim de ajudar-nos a fazer o que é correto. Diz Paulo, em Romanos 3.20: "...pela lei vem o pleno conhecimento do pecado". O propósito da lei foi o de mostrar-nos no que consiste o pecado e ao que ele nos conduz - à morte, ao inferno e à ira de Deus. A lei só pode destacar essas coisas. Não pode livrar-nos delas. O livramento nos chega exclusivamente através de Jesus Cristo, que nos é revelado através do evangelho. Nem a razão nem o "livre-arbítrio" podem conduzir os homens a Cristo, visto que a razão e o "livre-arbítrio precisam da luz da lei para mostar-lhes sua enfermidade. Paulo faz esta indagação em Gálatas 3.19: "Qual, pois, a razão de ser da lei?" Entretanto, a resposta de Paulo á sua pergunta é o contrário da resposta que você e Jerônimo dão. Você diz que a lei foi dada a fim de provar a existência da "livre-arbítrio". Jerônimo diz que ela tem o propósito de restringir o pecado. Mas Paulo não diz nada disso. Seu argumento todo é que os homens precisam... (Para continuar lendo clique aqui).
    k
    Este texto está no tópico - Artigos em Série

    0 comentários: